Blog

Vestir com aconchego

Minha relação com o vestir, durante mais da metade da minha vida de 32 anos foi exclusivamente para os outros.

Confesso que me vestia para agradar os outros, com medo do que pensariam ao meu respeito, ou pela pessoa que eu deveria aparentar ser. Quando você não tem uma autoestima adequada ou foi ensinada que seus valores estão relacionados ao você tem ou aparenta ter, fica difícil encontrar o próprio estilo.

Corre-se o risco de perder muito tempo da sua vida tentando se adequar ao impossível.

Depois de uma longa jornada de autoconhecimento, descobri que a minha relação com as roupas vai além do que os outros poderiam pensar ao meu respeito.

Eu gosto de vestir com aconchego. O meu trabalho envolve acolhimento, sou psicoterapeuta, e depois uma longa busca, compreendi que o meu vestir deveria expressar esse acolhimento, conforto e aconchego.

Afinal, como eu poderia dizer para alguém se sentir confortável sendo quem é se eu não me sentisse confortável dentro da minha própria pele, e da minha segunda pele (a roupa).

Entenda, o seu vestir deve ser SEU em primeiro lugar, mais do que para os outros.

Neste momento a maioria de nós encontra-se em quarentena, usando as roupas que gostaríamos de usar, assim espero. Já pensou como seria incrível se vestir para si mesmo todos os dias?! Você gosta de se vestir de você? Quais roupas você usaria se tivesse que trabalhar em home office para sempre?

Talvez você precise seguir o código de vestimenta da sua empresa, ok. Mas quem sabe seria possível adaptá-lo de modo que pudesse representar quem você realmente é.

Se você tivesse que definir o seu vestir em apenas uma palavra, qual seria?

Caso você não sabe qual é o seu estilo ou como adaptá-lo, a Laís pode te ajudar, assim como ela já me ajudou!

E lembre-se: vida é muito curta para aparentar ao invés de ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *