Blog

Planos ao vento

Esse mês a Lais passou um tema: “Quais são as nossas expectativas pro próximo ano?”. Pensei que seria só sentar e escrever a lista que jurei que sabia. Não funcionou assim. Aqui estou eu mais uma vez sentada reescrevendo o texto e achando que ainda falta. Talvez porque, enquanto escrevo, a frase do John Lennon não sai da minha cabeça: “A vida é o que acontece enquanto você está ocupado fazendo outros planos”. Mas bora lá.

Dezembro é tudo junto misturado: Natal e Ano Novo e MEU ANIVERSÁRIO ! Ou seja, eu fecho ciclo mesmo, e janeiro é tudo novo.

O que eu faço em dezembro é comemorar, e pensar. Olhar pra trás e tentar ter alguma vaga ideia do que fazer pra frente. Claro que planejar é uma das necessidades que eu tenho, mas quem disse que meus planos dão certo? Então, é meio isso, eu tenho ideias e vejo um pouco pra onde o vento me leva, e vou indo.

Quando olho pra 2019 vejo que foi um ano de plantio, afinal como já falei aqui, o caos me inspira e me movimenta. Em 2019, mesmo com um monte de instabilidade, resolvi me atirar em coisas que sempre quis e nunca tive coragem: curso de costura e um perfil no Insta pra abrir como me relaciono com as minhas roupas e o meu vestir para, a partir daí, abrir um dialogo com quem estivesse a fim. Posso dizer, depois que comecei, que ambas as coisas eram de fato importantes pra mim. Costurar me leva pra uma outra dimensão. É um tempo em que foco somente naquilo e curiosamente os pontos vão se conectando, tanto no tecido como na minha cabeça. O processo é muito gostoso: planejar, desenhar, cortar e costurar. Domar a máquina ou ser domada por ela, descosturar. fazer de novo. O perfil no Insta me fez olhar mais pra mim, doses diárias de autoconhecimento. Olhar a moda não como algo que vem de fora e preciso receber submissamente, mas entender que aqueles panos, na verdade, são mais uma ferramenta pra me expressar. Tudo isso está se tornando cada vez mais forte. E depois de toda uma infância/ adolescência tentando ter um diário e nunca conseguindo escrever mais do que uma semana, começei um onde jogo meus pensamentos; e ele não é secreto, ao contrário, é público, e as pessoas podem opinar. Como um maravilhoso brinde extra ainda veio essa coluna. Já recebi críticas e carinho. Tão bom trocar ideias com pessoas que não concordam e tão maravilhoso receber carinho.

Ai vem 2020, e meus planos incluem um monte de coisas iguais a todo mundo: ler mais, me cuidar (especialmente do cabelo e da pele – quero muito colocar protetor solar na minha rotina, alguém escuta “protetor solar” sem lembrar da voz do Bial?), arrumar um monte de coisa etc etc etc…

Até aqui, falei só de mim, mas sou uma pessoa que se relaciona com outras. Desejo que meu namoro continue cheio de risadas inesquecíveis e beijos inesperados; que meus peludos sigam com saúde e alegria, sendo apertados muito e diariamente; e desejo também, como sempre, passar mais tempo com meus amigos queridos.

Aproveito pra agradecer muito às pessoas que já me cercam há algum tempo e me ajudam nessa jornada doida, e também às pessoas novas que estão entrando na minha vida, algumas físicas e outras virtualmente. Bem melhor viver com vocês.

No fundo acho que todos somos um pouco iguais, né ? Por mais que a gente se ache tão diferente estamos todos lá, reunidos em cima de datas universais e com sentimentos parecidos, Querendo melhorar.

Que venha 2020

PS: quando acabei de escrever o texto me perguntei se deveria ter escrito algo sobre a paz mundial, menos desigualdade social, mundo mais justo e mais um monte de coisas. A verdade é: eu adoro o Pequeno Principe, mas não nasci pra ser Miss. Mas depois dessa frase me senti um pouco Miss. Quem nunca ?

ps2: a foto que escolhi pra acompanhar esse texto foi tirada pelo moço que eu gosto, é um registro feliz, uma amiga querida e eu num fim de tarde no Arpoador. A foto é de 2016, talvez um bom desejo seja terminar o ano com muitos registros felizes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *