Blog

Na passarela da alegria, eu quero nota 10

“Mas é Carnaval!
Não me diga mais quem é você!
Amanhã tudo volta ao normal
Deixa a festa acabar,
Deixa o barco correr
Deixa o dia raiar…”
(Noite dos Mascarados, Chico Buarque) – Ouça aqui

Samba, festa, purpurina, ritmo, alegria, confete… gosto de tudo no Carnaval, mas principalmente, adoro as fantasias! Glamourosas, engraçadas, clássicas, improvisadas, loucas… qualquer pessoa fantasiada já tem minha simpatia. Ainda que por alguns momentos, ainda que uma vez ao ano, ainda que timidamente, sair do lugar comum da roupa do dia a dia e do personagem que somos na nossa vida comum é um ato de coragem, uma pequena folga que concedemos ao nosso lado sério, uma permissão para ser louco, ser criança, ser diferente, sair da rotina.
Se uma roupa diz muito sobre a pessoa, o mesmo vale para quem você quer ser na folia. Quero estar linda, quero criticar a sociedade, quero ser fofa, quero ser debochada, quero ser sexy…. Freud teria muito o que pensar e falar se fosse a um bloco. Aliás, talvez até recomendasse como tratamento aos mais desiludidos ou tristonhos. Tem como não rir ao encontrar uma Mulher Maravilha aos beijos com um Fred Flinstone, ou uma família de prisioneiros tirando foto com policiais saradões? Ir a um restaurante entre um e outro desfile é sinônimo de felicidade: na mesma mesa, sentam-se Minnies, Piratas, Enfermeiros, Gladiadores, Sereias e um doido que a gente nem sabe o que é, mas tá valendo.
É a democracia em seu estado puro, como se zerássemos quem somos e renascessemos com nossa nova identidade. Que importa que aquela Sininho tem um curriculo de fazer inveja, que diferença faz se o sheik na verdade está desempregado e meio baixo astral? O jeito dela jogar purpurina verde fez ele lembrar do pó de pirlimpimpim, e junto veio a certeza de que a má fase vai passar. E o diretor da bateria hoje é quem manda, falou tá falado, e ninguém quer saber que ele é faxineiro na empresa onde aquele moço ali atrás com gravata neon, óculos gigantes e tamborim a postos é gerentão. Neste momento, este último só aguarda o comando do apito para começar a repicar na maior seriedade.
A festa é de todos que quiserem participar, e o que precisamos mesmo é tomar um porre de felicidade, mandar a tristeza embora, ancorar a alegria e contagiar e sacudir a cidade!!!
“Seja você quem for… e seja o que Deus quiser! “

Este artigo tem 2 Comentários

  1. Guita

    Eu A-M-E-I!!!
    Por que será que me identifiquei? rs
    Que venha a festa de Momo e sejamos quem quisermos ser sem censura, mas com muita alegria e purpurina.
    Até mais, minha querida Colombina.

  2. Fil

    Eu nem estava tão animado pra me fantasiar nesse carnaval, mas só de ler esse texto os meus olhos brilharam
    Vou preparar uma fantasia pra ontem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *