Blog

A Autoceitação: se aceitar mais para se comparar menos

Nos comparamos o tempo todo, basta abrir nossas redes sociais pela manhã, para encontrar uma série de vidas perfeitas, corpos perfeitos, casais com relacionamentos inabaláveis.

Todos parecem felizes e completos. Exceto você. Porque você conhece a sua vida real, sabe de cada dificuldade e problema existente, sua vida não é perfeita, seu corpo tem defeitos e a sua família não se comporta como aquela da propaganda de margarina. E o fato é, a sua vida não é perfeita, assim como a vida de todo mundo também não é. Porque vida perfeita não encontramos nem na novela das nove, não é mesmo?

Aceite que a perfeição é uma ilusão.

Eu sei que você já leu sobre esse papo de autoaceitação muitas vezes, mas quem sabe agora eu consiga de explicar de uma forma que faça mais sentido e te leve a colocar isso em prática.

Talvez exista na sua cabeça um corpo ideal, aquele que você gostaria de alcançar. E o pior, talvez você acredite que precisa desse corpo para usar uma determinada peça de roupa. Isso tudo porque um dia te disseram que essa roupa fica melhor em um determinado tipo de corpo, e na verdade, como qualquer roupa ela serve para um corpo, seja lá como ele for.

Vou me explicar melhor, quando fiz a consultoria de autoimagem com a Laís, conversamos sobre as partes que eu gostava do meu corpo, e naquela altura do puerpério é óbvio que eu não gostava de muita coisa, meu corpo havia mudado por fora e eu estava em uma revolução interna. Eu respondi que gostava das minhas mãos e do meu rosto. E então ela refez a pergunta um pouco brava, confesso rs, até que cheguei a conclusão que eu gostava da minha cintura, eu comentei com ela das partes que eu não gostava e ela disse: “não vamos focar em esconder o que você não gosta, o objetivo não é esse, vamos focar no que você admira”. Achei isso tão lindo.

E então eu percebi que sempre há algo que nos incomoda, não adianta, o problema não é tentar mudar o que não gostamos, e sim buscar mudar isso como se nossa felicidade dependesse disso.

Eu não estou dizendo para você não tentar mudar aquilo que não gosta. Mas compreenda que você é mais do que os defeitos que acredita ter.

Você é as pessoas que você faz feliz, você é o trabalho lindo que executa, você é a gentileza de dedica as outras pessoas.

A aceitação vem antes da autoestima, porque a autoestima é valorizar nossos pontos fortes, mas há dias que eles ficam tão escondidos que podemos desacreditar na existência deles, não é mesmo?

Compreenda que devemos reconhecer e honrar cada parte de nós, não vale a pena passar a vida  escondendo nossas imperfeições, porque seria o mesmo que esconder quem realmente somos. Muitas vezes ocultamos nossos defeitos com medo de não sermos amados, por medo da rejeição.  Porém talvez o problema não seja a rejeição do outro, mas a nossa falta de acolhimento com nós mesmos.

Que possamos aceitar cada parte do nosso corpo e honrar a história que ele viveu conosco até aqui, e caso exista a vontade de mudar que seja para melhorar aquilo que amamos, e não para modificar uma parte de nós na tentativa de amá-la.

Este artigo tem 1 comentário

  1. Claudio Teixeira

    Lindo Dra Natália! Parabéns pelo maravilhoso texto que é sim, capaz de influenciar a melhorar a vida de tanta gente! Acho incrível como seu papel de fazer as pessoas se aceitarem, e com isso, serem mais felizes em suas vidas vai muito além do seu consultório! Tens um fã aqui! Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *